terça-feira, 28 de novembro de 2017

FLORAIS DE BACH E A DEPRESSÃO

A depressão é um grande mal que vem se alastrando nos últimos anos, preocupante, pois é uma “doença da alma” silenciosa, porém extremamente destrutiva.

Estimativas da OMS, Organização Mundial da Saúde, em 2010 informavam que a depressão já atingia 5% da população mundial. Números que hoje se elevaram a 18%, cerca de 322 milhões de pessoas em todo o mundo. São dados preocupantes, inclusive para os brasileiros, que representam 11,5 milhões de pessoas que sofrem com depressão. Tragicamente, 15% desses indivíduos cometem suicídio.

A depressão é considerada pela psicoterapia holística uma doença manifestada pelo desequilíbrio emocional e o mal funcionamento do fluxo de energia vital para todos os sistemas.

O Dr. Bach, pesquisador e criador da Terapia Floral Moderna (que leva seu sobrenome), verificou que as doenças são expressões do conflito de nossa alma com nosso corpo físico em função de emoções e atitudes negativas do nosso cotidiano. Concluiu que, para uma cura efetiva do paciente, a personalidade do mesmo também deve ser tratada, equilibrando as emoções negativas com as positivas, e descobriu que determinadas flores possuem, tanto a energia vital, quanto as propriedades curativas capazes de trabalhar essas emoções.

Como é o caso dos Florais de Bach para depressão que atuam nas questões emocionais que geram a doença, porém as causas são diferentes para cada indivíduo. Por isso falamos que os Florais de Bach tratam o paciente, não a doença, sendo, portanto, um tratamento complementar, que não interfere no tratamento convencional, trazendo resultados notáveis.

Os Florais de Bach não possuem efeitos colaterais e não interferem em qualquer forma de tratamento, incluindo medicação homeopática, ervas ou alopática. Eles também podem ser usados como catalisadores na liberação de estados psicológicos negativos indesejados, potencializando a psicoterapia, tornando-se uma modalidade de cura que pretende trabalhar padrões mentais mais facilmente, ao invés de reprimir estados psicológicos negativos.

Há vários estudos de casos de terapias aliadas ao uso do Florais de Bach, porém, o único publicado é da médica italiana Maria Elisa Campanini, em que 115 pacientes que sofrem de depressão e ansiedade foram tratados complementarmente com Florais de Bach. Os investigadores relataram melhoria em 89% dos casos tratados, verificaram que o tratamento é completamente seguro e sem contraindicação, nem efeitos colaterais.

Os estudos ainda sugerem que os Florais de Bach trazem alívio para os que sofrem de depressão crônica, mesmo quando outros métodos de tratamento tenham sido infrutíferos.
O psicoterapeuta Daniel Mazzo, em seu site, relata dois casos de depressão estudados por ele: Senhora A e Senhora B. Ambas sofriam já há muitos anos de depressão crônica. A Senhora A havia realizado três tentativas anteriores de medicamentos, enquanto a Senhora B possuía um total de oito anos de psicoterapia e dois anos de intervenção psicotrópica. A Terapia Floral do Dr. Edward Bach foi usa em conjunto com a psicoterapia e medicamentos antidepressivos convencionais.

Relato do caso da Sra. A: “... mulher casada de 45 anos de idade, apresentou-se com intensos sentimentos de tristeza e vazio que ela não conseguiu superar. Outros sintomas consistiam de anedonia, culpa excessiva sobre a sua condição, perda significativa de energia e libido, insônia, aumento de peso, e uma auto avaliação negativa. Ela informou que os sentimentos depressivos haviam ocorrido em maior parte de sua vida adulta, mas foram significativamente presentes e implacáveis nos últimos 5 anos. Ela foi incapaz de identificar qualquer precipitante para sua depressão. Queixou-se de sentir enorme dificuldade em realizar suas tarefas diárias (por exemplo, limpeza, cuidar do cachorro da família), o que ela achou difícil iniciar e concluir, e foi facilmente desencorajados quando ela era incapaz de cumprir as metas pessoais (por exemplo, após uma regime de exercícios ou concluir um projeto familiar), que acabaria por agravar a depressão. Embora ela parecesse ser uma pessoa brilhante e muito talentosa, ela foi perturbada por um sentimento interior de incerteza profissional e emocional. ... Durante as 12 semanas seguintes (ao início do tratamento floral) a condição da sra. A foi monitorada... Dentro de 4 semanas, a tristeza, sensibilidade a contratempos, e a culpa haviam diminuído significativamente. Durante suas sessões ela começou a revelar seus conflitos de origem, que pareciam influenciar muito o jeito que ela vivenciava as situações do dia a dia, incluindo um nível subjacente de ressentimento. ... Na semana 8 ela estava notando uma diminuição dos sentimentos de raiva e renovado interesse pela vida, e relatou um aumento da energia física. Até o final da sessão 12 ela estava menos autocrítica e explorando ativamente suas crenças espirituais e interesses vocacional. Também reuniu energia para concluir um curso profissional...”

Relato do caso da Sra B: “ ... 40 anos, divorciada, sofria de sintomas de depressão desde a infância. Queixava-se de se sentir triste, com períodos frequentes de choro, perda de energia, diminuição da libido, e uma incapacidade de encontrar a alegria na vida. As ondas de tristeza se manifestavam por nenhuma razão aparente e duravam várias semanas. Ocorriam períodos de melhora temporária, mas por curtos períodos, logo os sintomas retornavam. ... estava tomando sertralina, 100mg/dia. Estava tomando esta medicação por dois anos e relatou que, enquanto a intensidade da depressão tinha melhorado, os estados disfóricos continuaram a atormentá-la. ... Eu estava vendo a sra B em psicoterapia semanal por seis meses antes de adicionar os Florais de Bach em seu tratamento. Com base nos sintomas, o diagnóstico no início da terapia era transtorno depressivo maior. ... Pela oitava semana de TERAPIA FLORAL, a frequência de episódios depressivos por semana foram diminuindo, e ela relatou mais prazer em sua vida. Ela também estava expressando seus estados de sentimentos com maior facilidade.... Na décima segunda sessão, a tristeza havia diminuído, e os padrões mentais negativos haviam se dissipado. Ela relatou renovada capacidade e vigor em completar tarefas, um aumento na libido, e sentindo-se menos irritável e irritada.”

Por tudo isso, podemos verificar que a Terapia Floral, quando usada em complemento ao tratamento convencional, torna muito mais rápida a resposta.

A medicina holística enxerga o ser humano como um todo. Sendo assim, quando um sintoma se apresenta, há o aspecto físico, psíquico e energético que devem ser tratados, e a Terapia Floral atua muito bem nesses três níveis.

Espero ter auxiliado com mais um pouco de explicação sobre a Terapia Floral. Se tiver dúvidas, fique à vontade para enviar um e-mail. 

Paz e Bem!


Nenhum comentário:

Postar um comentário